quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Box truss, um grande aliado do profissional de eventos

 

Cada vez mais utilizadas na produção de eventos dos mais diversos tipos e portes, as estruturas debox truss têm se transformado em importante aliado dos profissionais de eventos e seus fornecedores, agilizando o atendimento das mais diferenciadas necessidades estruturais. Por isso, deixo aqui alguns comentários sobre essa interessante estrutura.

O que é box truss?

  • O box truss é uma estrutura modular em formato de treliça, de fácil montagem e manuseio, fabricada em alumínio ou aço carbono de alta resistência.
Modelos:
  • Os quatro modelos básicos mais comercializados se diferenciam pela sua capacidade de carga: Q15, Q20, Q25 e Q30.
  • O Q15 é o mais simples, leve e prático. Não precisa de mão de obra especializada para sua instalação e é utilizado geralmente como suporte para equipamentos leves de sonorização e iluminação, ou como suporte para telas de projeção, pequenos fundos de palco, backdrops, banners e outros tipos de comunicação visual.
  • O Q30, por sua parte, é projetado para suportar cargas mais pesadas e se emprega geralmente para sustentar palcos, passarelas, coberturas, pórticos, tendas e outras estruturas para shows e eventos de mediano e grande porte.
Dicas:
  • Do ponto de vista estético, box truss de formato maior nem sempre aparece bem em estruturas pequenas ou ambientes fechados, estreitos ou com pé direito muito baixo. Nesses casos prefira box truss de formato menor, como o Q15 ou Q20.
  • Tenha presente que, para sustentar fundos de palco, banners, faixas ou outras estruturas de divulgação em lona ou tecido similar, o box truss poderá ser utilizado de forma aparente ou "envelopado", isto é, com a lona ou tecido cobrindo o box truss.
  • Tenha sempre em conta que, embora as laterais do box truss sejam do mesmo tamanho, o desenho das treliças é diferente, sendo esteticamente aconselhável a utilização da treliça em formato diagonal para a parte da frente.
  •  Dependendo da sua destinação, em caso de necessidade o box truss poderá ser substituído por outros tipos de materiais que poderão atender as mesmas necessidades, como metalon, ferro, madeira, etc.
  • O box truss é montado a partir de módulos fixos, com dimensões padrão de 0,5m; 1,0m; 2,0m; etc. Essa peculiaridade deve ser tida presente, pois utilizando esses módulos não será possível confeccionar estruturas com dimensões intermediárias (ex: 6,20m x 3,15m) ou formatos diferenciados.
  • Além dos módulos fixos, que se encontram prontos no mercado para a sua rápida utilização, alguns fornecedores conseguem atender projetos especiais diferenciados com estruturas e módulos de variados formatos, tamanhos e finalidades.
Cuidados:
  • Não utilize box truss de menor capacidade de carga para sustentar estruturas pesadas. Inúmeros acidentes têm acontecido por falta de cuidado nesse sentido.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Perfeccionista? Cuidado para não piorar as coisas ao tentar aperfeiçoá-las

    Desenho: http://www.rennove.com.br

Uma das máximas da Medicina, o primum non nocere, isto é, em primeiro lugar não provocar danos, deverá estar presente também no dia a dia dos profissionais de eventos. É lamentável quando, em nome da perfeição, não conseguimos concluir algo no tempo previsto, ou estragamos então aquilo que já esta ou poderia estar bem feito.

O perfeito é inimigo do bom? Nem sempre. Mas é importante termos esse ditado presente durante a produção de um evento. Devemos lembrar que ao tentar materializar o nosso "perfeccionismo", podemos estar esgotando um tempo precioso e atrasando com isso outras fases da produção, podendo chegar inclusive a comprometer a realização do evento.

Existem inúmeros exemplos de projetos "maravilhosos" que sequer saíram do papel horas antes do início do evento, ou outros que foram modificados tantas e tantas vezes durante a produção que terminaram por se distanciar de forma desproporcional da vontade ou da necessidade do cliente.

A procura pela perfeição, claro, é sempre válida, mas ela não deverá justificar o atraso de nenhuma das fases da produção de um evento, e ainda menos prejudicar o que já foi feito dentro do que havia sido planejado. Por isso, antes de melhorar ou corrigir algum detalhe que, em sua opinião, possa ser aperfeiçoado, tenha a certeza de que vai conseguir fazer com que fique melhor, ou deixe-o então do jeito que está.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Desde 2008 Argentina comemora o "Dia do Organizador Profissional de Eventos"


A Assembleia Legislativa da Província de Buenos Aires aprovou, por unanimidade, em 2008, uma lei de autoria da Deputada Julia García que estabeleceu o 13 de setembro como o Dia do Organizador Profissional de Eventos.

O projeto apresentado pela deputada Julia sugeriu a data tomando como referencia a criação do Centro de Organizadores de Eventos (COE), instituição educativa que tem capacitado milhares de profissionais de eventos e que foi fundada no dia 13 de setembro de 1988, vinte anos antes da aprovação da referida lei.

A data comemorativa conta com força de lei apenas na Província de Buenos Aires, mas tem se tornado uma referencia em todo o território nacional, uma merecida homenagem para todos "los hermanos" que se dedicam profissionalmente ao mundo dos eventos.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Pesquisa mostra crescimento do mercado de congressos


A II Pesquisa O Mercado de Congressos no Brasil, organizada pela Eventos Expo Editora, revelou um crescimento do mercado brasileiro de congressos em relação ao ano 2010. Segundo o estudo, 44,6% das entidades consultadas destinaram mais recursos para a realização deste tipo de eventos, se comparado com a pesquisa anterior.

O levantamento também segmentou a destinação média de recursos para a realização dos congressos: aluguel do espaço físico (20-50%), alimentos e bebidas (10-30%), audiovisual (5-40%), marketing e promoção (10%), palestras e entretenimento (5%), viagens e hospedagens (5%), organização (5-10%). Custos com inscrição, seguro, decoração, apresentadores e mestres de cerimônia também foram considerados como significativos.

"Conseguimos fazer uma verdadeira 'tomografia', com resultados que retratam o novo panorama deste que é um dos mais importantes setores do mercado de eventos brasileiro", afirmou Sergio Junqueira Arantes, coordenador da pesquisa e diretor da Eventos Expo Editora.

Maiores informações:

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Robôs recepcionistas - Será que a moda pega?

Furo-K, robô recepcionista - Foto: Divulgação Portal Terra
Uma centena de robôs recepcionistas deverá desembarcar no Brasil nos próximos dias. Produzidos pela empresa sul-coreana Future Robot, os novos "coleguinhas", que chegam com o sugestivo nome de Furo-K, foram desenhados para prestar seus serviços em feiras, congressos e outros eventos de médio e grande porte, assim como em locais com elevada circulação de público, como shoppings centers, hotéis, estádios, casas noturnas, museus e hospitais.

A novidade, por enquanto, anda despertando mais curiosidade do que preocupações entre os nossos profissionais de eventos. Dependendo da sua utilização, a nova "engenhoca" poderá se transformar num grande aliado dos nossos profissionais, ou então num concorrente de peso em algumas áreas de atendimento ao público.

Mas o importante é não subestimarmos esta nova tendência de utilização da inteligência artificial no mercado de eventos. O potencial  revelado pelo Furo-K em testes e em recentes aparições em feiras internacionais já é incrível, e se pensarmos que isso é só o começo, poderemos imaginar o quanto essas e outras novidades poderão nos acompanhar nos próximos anos.

E atenção! Quem pense que o atendimento poderia ficar mais "frio" com os novos humanoides, se engana. Estes robôs foram concebidos para circular por espaços onde há movimento de pessoas, cumprimentando e oferecendo diversas informações. E até dancinhas e carinha de triste quando o cliente vai embora também estão no repertório do Furo-K.

O Furo-K é capaz de perceber os movimentos dos clientes, além de distinguir gestos faciais e variações na voz, o que aumenta a sua capacidade de interação com humanos. E se for bem programado por nós humanos, nunca, mas nunca mesmo, o Furo-K irá se mostrar estressado, mal-humorado ou sequer deselegante no atendimento aos nossos clientes, no que poderá fazê-lo levar vantagem significativa sobre alguns dos nossos profissionais de eventos.