quinta-feira, 29 de novembro de 2012

7 causas de acidentes em eventos e como preveni-las



A produção de eventos é uma atividade que envolve riscos de acidentes, tanto durante a montagem quanto na realização dos mesmos e na desmontagem. Nesse sentido, é importante que profissionais que atuam nesse setor tenham sempre presente os riscos mais comuns e as formas de preveni-los.
1) GOLPES
Causas principais:
Falta de atenção e/ou concentração, iluminação precária, organização e planejamento deficientes.
Como prevenir:
· Mantenha liberados os locais e corredores onde aconteça maior trânsito de pessoas;
· Sinalize ou elimine objetos e peças que sobressaiam do lugar;
· Descarte os materiais desnecessárias ou coloque eles em lugares apropriados;
· Mantenha organizados e limpos os locais de trabalho;
· Não utilize ferramentas em funções para as quais não foram desenhadas;
· Se necessário, utilize equipamentos de proteção individual (luvas, capacetes, botas, etc.);
· Sempre que possível, aproveite a luz do dia para realizar as montagens.
2) CORTES
Causas principais:
Manipulação inadequada de ferramentas e outros objetos cortantes.
Como prevenir:
· Caso não tenha sido treinado, não faça uso de ferramentas de cortes;
· Não utilize ferramentas defeituosas;
· Preste atenção ao manipular objetos com pontas/ lâminas que possam provocar cortes;
· Mantenha organizados e limpos os locais de trabalho.
· Use luvas, capacetes, botas e outros equipamentos de proteção necessários.
3) QUEDAS
Causas principais:
Utilização indevida de escadas, pisos molhados, calçados inadequados, objetos fora do lugar, falta de atenção, pouca iluminação.
Como prevenir:
· Mantenha o piso livre de líquidos, óleos e outros resíduos;
· Quando necessário, coloque no piso revestimentos antiderrapantes;
· Utilize calçados com boa aderência ao solo;
· Retire obstáculos de lugares por onde as pessoas transitam;
· Prefira a luz do dia ou utilize luz artificial de boa luminosidade;
· Sinalize com fitas ou bloqueie as aberturas ou superfícies irregulares ;
· Mantenha organizados e limpos os locais de trabalho;
4) CHOQUES ELÉTRICOS
Causas principais:
Instalação elétrica inadequada, sobrecarga de energia, fios deteriorados, equipamentos elétricos defeituosos; 
Como prevenir:
· Respeite as normas e procedimentos estabelecidos pelo Corpo de Bombeiro.
· Não faça reparos na rede ou em equipamentos sem desligar a energia;
· Em instalações elétricas utilize escadas apropriadas e equipamentos de proteção;
· Não toque em equipamentos elétricos ou fios de eletricidade com as mãos molhadas;
· Ao utilizar tomadas e extensões elétricas certifique-se que comportará a carga colocada.
5) QUEIMADURAS
Causas principais:
Instalações elétricas defeituosas ou inadequadas; falta de cuidado ao manipular, equipamentos, luminárias e outras fontes de calor; utilização incorreta de combustíveis; fumar em locais inapropriados.
Como prevenir:
· Acondicione áreas específicas para fumar e proíba o fumo em outros ambientes;
· Mantenha sob controle os combustíveis e outras sustâncias inflamáveis;
· Tome cuidado com todas as fontes geradoras de calor;
· Verifique a existência de extintores e outros equipamentos contra incêndio;
· Apenas profissionais capacitados deverão instalar ou manipular redes elétricas;
· Respeite as normas e procedimentos estabelecidos pelo Corpo de Bombeiros.
6) SOBRE-ESFORÇOS
Causas principais:
Manipulação incorreta de cargas, postura inadequada ao levantar pesos, movimentos repetitivos, falta de equipamentos apropriados para transporte de carga.
Como prevenir:
· Sempre que possível, utilize equipamentos específicos para manipular cargas;
· Mantenha postura correta ao carregar peso e respeite carga máxima por sexo e idade;
· Quando se façam movimentos repetitivos, respeitar pausas e realizar outros movimentos;
· Faça alongamentos antes de carregar objetos pesados;
· Peça ajuda a outra pessoa sempre que o considere necessário.
7) RUÍDO EXCESSIVO
Causas principais:
Permanência muito próxima de equipamentos de sonorização podem provocar danos irreversíveis à saúde.
Como prevenir:
· Utilize equipamento de proteção individual contra ruídos (protetor auditivo);
· Evite ficar muito próximo de caixas acústica e outros equipamentos que gerem níveis elevados de ruído.

Esses são apenas os principais riscos, algumas das causas e as possíveis formas de preveni-los, mas diversos outros tipos de acidentes poderão acontecer em eventos. Por isso, fique sempre atento, pois em se tratando de segurança, todo cuidado será sempre pouco!

Como podem apreciar, seguindo procedimentos padrões, como a utilização dos equipamentos de proteção individual e o respeito às normas estabelecidas pelo Corpo de Bombeiros, poderiam ser evitados a maioria dos acidentes.

E não esqueça: durante a produção e realização de um evento, tente se alimentar corretamente e respeite o mínimo imprescindível de horas de sono, pois isso contribui para manter níveis adequados de concentração e evita o esgotamento físico e mental, diminuindo também as possibilidades de acidentes provocados por erro humano.

No mais, amigo profissional de eventos, lhe desejo um ótimo trabalho e muita boa sorte!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Aconteceu: Garçom deu banho de cerveja em chefa do governo alemão


Um garçom que atendia um evento na Alemanha deixou cair cinco copos de cerveja em cima da chefa do governo Angela Merkl. O incidente ocorreu no início de 2012, na cidade de Demmin, durante um encontro de autoridades do partido governante.

O garçom explicou que tudo aconteceu muito rápido. Ele disse que sentiu um empurrão nas costas e tentou segurar os copos, mas quando percebeu cinco deles haviam se virado na bandeja e a cerveja já estava esparramada no vestido da governante alemã.

Ao jornal inglês Bild o garçom confessou que na hora não consegui segurar os copos nem a sua indignação: “gritei ‘merda’ muito alto”, explicou.

ASSISTA AO VÍDEO


terça-feira, 27 de novembro de 2012

Perfeccionismo é coisa de menina tocadora de piano?

 Nelson Rodrigues - Foto: divulgação


É do saudoso e sempre polêmico Nelson Rodrigues uma frase que chega a provocar até arrepios em muitos profissionais de eventos: "perfeccionismo é coisa de menina tocadora de piano".

Nascido em Recife, em 1912, um dos escritores mais importantes do teatro brasileiro, Nelson estaria completando agora 100 anos. Mas, o que teria levado o talentoso artista a idealizar essa frase? Justo ele, que foi sempre, como profissional das artes, um incansável batalhador na busca pela perfeição?

Nelson Rodrigues era, como sabemos, além de gênio da literatura e do teatro, uma pessoa que cultuava como poucos a arte de polemizar, e daí surgiram não só esse, mas outros muitos célebres comentários polêmicos. Digamos que, como polemista, ele se empenhou e chegou inclusive bem perto da perfeição, gerando controvérsias até depois de morto.

O importante é que o Nelson, do seu jeito, trouxe à tona o tema do perfeccionismo, que tem tudo a ver não apenas com a arte que o fez famoso, o teatro, mas com todas as manifestações artísticas e outras muitas manifestações afins, entre as quais a produção e organização de eventos.

No mundo dos eventos, assim como nas mais diversas manifestações das artes, a busca pela perfeição deverá nos orientar sempre que possível. Não existiria arte de nenhuma espécie sem a busca insistente pela perfeição, da mesma forma que os eventos se tornariam muito, mas muito chatos, se não contassem ao menos com uma leve dose de perfeccionismo.

Por isso, se você, como eu, se empenha também na busca pela perfeição na produção de eventos, não leve a mal essa frase do Nelson, e aceite-a, no fundo, como um singelo elogio.

Aproveitemos a “provocação” do Nelson Rodrigues e ofereçamos a ele uma justa e merecida homenagem no ano do seu centenário. No final das contas, ele, como poucos, com o seu exemplo, nos ensinou a todos da importância de acolher dentro de nós aquela menina que, tomara, se mantenha por sempre tocando piano em todos e cada um dos eventos que organizamos.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

5 dicas para apresentar entre si os profissionais envolvidos na realização de um evento

Profissionais de eventos se relacionam diariamente com dezenas e dezenas de pessoas, sejam elas colegas de profissão, fornecedores, clientes ou participantes em eventos. O curioso é que muitas dessas pessoas encontram-se pela primeira vez e passam a interagir entre elas precisamente pela intermediação do profissional de eventos, que apresenta uns aos outros, isto é, fornecedores a clientes, colegas a fornecedores, clientes a colegas, fornecedores a outros fornecedores, e assim por diante.

O profissional de eventos conhece e tem o dever de fazer com que as diferentes pessoas envolvidas na realização de um evento se conheçam entre si. Mas será que ele faz essa importante interação de forma profissional? Será que sabe realmente o modo mais apropriado de apresentar umas pessoas às outras?

Quatro regras básicas e simples podem ser úteis na hora de uma apresentação, lembrando que quem apresenta deverá identificar a pessoa mais “importante”, a pessoa que queremos "destacar” nesse ato, e é a essa pessoa a quem apresentamos a outra ou outras.

Sempre que possível, deveremos agir respeitando a seguinte gentileza:

1) apresente a pessoa que não é autoridade à autoridade;
2) apresente o subordinado ao seu chefe ou pessoa de maior hierarquia;
3) apresente a pessoa mais jovem à pessoas mais velha;
4) apresente o homem à mulher;

Claro que essas quatro opções são apenas uma referência básica e nem sempre se apresentam tão simples assim:

·      Se o homem é uma autoridade e vamos apresentá-lo a uma mulher, predomina a 1ª ou a 4ª regra?

·      Se a pessoa mais jovem tem hierarquia maior que a pessoa mais velha, prevalece a 2ª ou a 3ª regra?

Bom, nada que o bom senso e a habilidade do apresentador não possam solucionar. Aí vale ter em conta quão grande assim é a diferencia de idade entre eles, quão importante é realmente a autoridade, etc. Às vezes uma diferença de idade muito significativa pode levar a que apresentemos um jovem chefe a um subordinado idoso, por exemplo, fazendo predominar assim a 3ª regra sobre a 2ª.

E tão importante quanto essas gentis formalidades é:

5) nunca se esqueça, no ato da apresentação, de oferecer a cada pessoa informações sobre a outra, de forma a facilitar o diálogo entre ambos.

Informações do tipo: nome, profissão, função, parentescos, projetos, experiências, preferências, gostos, etc.; assim como destacar algum tema de interesse comum das pessoas apresentadas, contribui para facilitar o diálogo entre elas.

Essas são apenas 5 dicas básicas para a apresentação de pessoas, mas existem muitas outras regras e recomendações que poderão ser encontradas em diversos manuais de boas maneiras e etiqueta ao acesso de uma simples pesquisa na Internet. Boa sorte!

domingo, 25 de novembro de 2012

Pôsteres das cidades-sede da Copa do Mundo

sábado, 24 de novembro de 2012

Desabamento de estrutura em box truss provoca morte em evento no Rio de Janeiro

Feira Brasil Rural no Rio de Janeiro - 2012
Um pórtico confeccionado em box truss, que formava parte da feira Brasil Rural Contemporâneo, no Rio de Janeiro, caiu hoje e provocou a morte de uma pessoa e ferimento em outras três.

A feira estava instalada na Marina da Glória, no Aterro do Flamengo, e era organizada pelo Ministério de Desenvolvimento Agrário. Ao que tudo indica, o acidente foi provocado por uma forte rachada de vento no local, que derrubou a estrutura de alumínio instalada próxima à praça de alimentação da feira.

Peritos da 9ª DP (Catete) são os responsáveis pela perícia no local e deverão acionar a empresa responsável pela montagem para determinar as causas do acidente. Testemunhas teriam relatado que o pórtico metálico não contava com cabos de aço para sua sustentação.

Produtores de shows internacionais oferecem descontos para atrair público cada vez mais saturado desses eventos

Lady Gaga e Madonna

Preocupados com a diminuição do interesse no Brasil pelos grandes shows internacionais, produtores desse tipo de mega-espetáculos tentam entender o que poderia estar por trás dessa aparente mudança de comportamento do público brasileiro.

Até pouco tempo, o anúncio de turnês ou shows isolados de grandes artistas internacionais despertava uma procura desenfreada por ingressos, mas a situação parece estar mudando. As filas quilométricas para a compra de ingressos foram se encurtando a cada dia, e os produtores tem sido forçados a praticar descontos significativos para garantir as vendas dos  shows.

Nem as grandes rainhas pop da atualidade foram poupadas pelo aparente desinteresse. Para os shows da Lady Gaga há duas semanas foram oferecidos descontos além do previsto, enquanto que para os da Madonna, que irão acontecer daqui a poucos dias, as vendas têm ficado distantes do que foi projetado, e são oferecidos ingressos com até 50% de desconto.

O motivo do aparente desinteresse está associado certamente ao elevado preço cobrado pelos ingressos, mas, acima de tudo, parece estar relacionado com o grande número de apresentações desse tipo que têm sido realizadas no Brasil nos últimos anos. Tantas apresentações passaram a dividir a atenção de um público cada vez mais saturado pelo excesso de oferta desse tipo de eventos, e que se torna mais seletivo na hora de escolher em qual deles irá participar.

Talvez os promotores desse tipo de mega-espetáculos devam repensar o mercado brasileiro, e avaliar novas estrategias de marketing e vendas para reverter a situação atual. Quem sabe dessa forma consigam recuperar o espaço perdido. Eles, com certeza, sonham com os anos dourados em que os ingressos para um show da Madonna se esgotavam em apenas 24 horas, como aconteceu em 2008.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Decisão da Câmara dos Deputados poderá se tornar referência para fiscalização de eventos governamentais


Em um post publicado na semana passada, noticiamos a aprovação, pela Comissão de Turismo e Desportos da Câmara dos Deputados, do Projeto de Lei nº 6908/10, que regulamenta, entre outras coisas, procedimentos de segurança a serem adotados durante a realização de grandes eventos esportivos.

No referido projeto foram sugeridas formas tradicionais de controle, entre as quais apresentação de documento oficial e comprovante de residência dos participantes, assim como foto do comprador dos ingressos. Mas após amplos debates esses procedimentos foram descartados, ao ser considerados difíceis de ser aplicados e possíveis causadores de aglomerações e confusão.

No debate entre os deputados predominou o consenso de que de nada serviria estabelecer normas e regulamentos aparentemente muito eficazes, se na prática não será possível cumpri-los, ou poderão até provocar danos maiores. Optou-se por uma solução intermediária, mas muito sensata: em vez de documentos e fotos será exigida a gravação e arquivamento das imagens.

Embora o projeto de lei em questão trate especificamente sobre segurança em grandes eventos esportivos, a postura do legislativo brasileiro abre um precedente também para eventos governamentais de mediano e grande portes, os quais vêm sendo monitorados cada vez mais de perto pelos  órgãos de controle e fiscalização do Governo Federal.

O precedente, com base na praticidade e aplicabilidade das exigências, vai em certa medida ao encontro de algumas das dificuldades que as empresas de eventos licitadas pelo governo vêm apresentando nas suas prestações de contas para órgãos fiscalizadores, entre os quais a Controladoria Geral da União – CGU.

Em anos recentes têm se observado uma presença significativa da CGU na fiscalização de eventos corporativos, e isso é muito louvável. Mas algumas das exigências para a prestação de contas tornam-se, por vezes, impraticáveis em eventos de mediano e grande portes, como a apresentação de lista de presença, com nome, sobrenome, cargo, função, telefone, e-mail e ainda assinatura de cada participante.

Na prática, procedimentos nesse sentido fazem com que muitas empresas organizadoras de eventos deixem de cumprir exigências dos órgãos fiscalizadores ou prejudiquem a correta prestação dos serviços. Obrigações desse tipo poderiam ceder lugar a procedimentos mais modernos, ágeis e eficazes, como a sugerida gravação de imagens, ou outros como a utilização de códigos de leitura ótica, identificadores de digitais, chips de identificação, etc.

Talvez tendências como a que agora é mostrada pela Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados, que apostam no aproveitamento das vantagens oferecidas pelos avanços tecnológicos, poderão servir para avançar ainda mais no sentido não apenas de melhorar a segurança nos grandes eventos esportivos, mas, também, para aprimorar os procedimentos de fiscalização e controle dos recursos públicos destinados a eventos governamentais.